É HORA DA TEOLOGIA!

Estamos em um momento de amplos desafios para o ensino de teologia. Os avanços da tecnologia tem proporcionado soluções e possibilidades jamais imaginadas. A esfera teológica e as possibilidades de aplicação cada vez mais se ampliam. O homem atual cada vez mais busca na espiritualidade o sentido e a capacidade para ter um diferencial em sua vida, servir ao próximo e promover um mundo melhor.

A teologia bíblica traz o senso de prioridade. Em meio ao turbilhão de informações, o que devo fazer primeiro? Em que assuntos ou atividades devo me envolver como alguém que ama a Deus e quer compreender o sentido da vida? A urgência apocalíptica traz a perspectiva crítica para o engajamento do indivíduo em sua missão de vida.

Nada tem promovido tanto a liberdade do indivíduo do que a teologia, porque ela transcende o autoritarismo dogmático e busca em Deus e na Bíblia renovar práticas ultrapassadas , remover e tratar o abuso espiritual do fanatismo e da opressão espiritual, proporcionando a saúde psicológica e o entendimento de que muitos dos nossos problemas não são contingentes, mas são passíveis de tratamento e cura, tanto do corpo quanto da alma.

Da mesma forma que o Brasil tem milhões de técnicos de futebol, nosso país tem milhões de teólogos com inúmeras crenças. A palavra de Deus traz uma união ao nosso povo espontâneo, concentrando-o em rumo das crenças milenares em comum e mobilizando recursos de várias formas para causas relevantes que a política, o entretenimento, a mídia ou a religião são incapazes de motivar. A visão fragmentária passa a dar lugar a unidade do Espírito, no vínculo da paz.

Quando efetivamente ministrada, a teologia nos torna capazes de entender melhor a história, filtrar a tradição e influências extrabíblicas, ser aberto às várias ciências e práticas aplicadas, tomar posse e passar adiante a herança apostólica.

Longe de ser impessoal e extremamente teórico, o discipulado vai se infiltrando em todas as áreas da nossa individualidade, trazendo disciplina, tolerância, compaixão, fé e abrindo a porta para o recebimento e a ministração dos dons espirituais, mas principalmente do discernimento para que se possa equilibradamente contribuir para a missão da igreja e a realização das pessoas de nosso convívio e relacionamento.

Traduzindo os ícones e símbolos ao nosso redor (parece que o mundo todo está em código e esses símbolos nos são lançados em rosto em uma velocidade imensa, como um verdadeiro ataque a nossa privacidade, integridade e dignidade), a teologia incorpora a nossa experiência a herança milenar do cristianismo e a compreensão de todas as outras vertentes de forma a produzir uma experiência de vida pacífica, prevalente e saudável.

Neste estudo, a teoria e a prática se aliam e cada dia passa a ser um aprendizado e um conhecimento maior de Deus. Por isso com entusiasmo afirmo a você que o estudo aprofundado, a exegese da revelação de Deus em Cristo expressa na Palavra de Deus é a melhor alternativa de estudo que você pode fazer nesse momento. Venha, esta é a hora!

O selfie que todos deveriam ver

O selfie é a maneira de dizer que alguém está presente. Garantir presença na comunidade virtual. É a maneira que a pessoa quer ser vista e revela muito a respeito de como a pessoa se vê. É a imagem pública de uma pessoa.

Muitos observam um selfie e imaginam o que realmente ele quer dizer. Muitos chegam a ter um bom gosto. Outros querem divulgar um momento, um estado de ânimo. Se estiver em um perfil estará simbolizando a identidade.

A caminhada dos nossos pensamentos sempre convive com a ideia da nossa origem, de como viemos a essa terra ou como tudo surgiu. A razão por que vivemos, por que erramos, até mesmo por que acertamos. De repente ouvimos falar de alguém que não se vê e que parece se identificar como o Nosso Pai. De repente dizem que ele tem uma casa e que as pessoas vão para a casa dele para falar com ele ou ter contato. Uns dizem ser felizes com ele, outros que vivem bem sem ele.

É maravilhoso saber que essa pessoa que uns chamam de cara lá de cima, outros de Deus, ainda que outros nem queiram defini-lo ou mencioná-lo entrou na rede de relacionamentos dos seres humanos. Ele entrou em cena. Ele criou um perfil e muita gente achou ele meio barulhento, se manifestando com fogo e labaredas, e meio falante, com um monte de leis esquisitas. Foi aí que ele resolveu postar um selfie.

Muitos amigos nossos acharam que o selfie era de mau gosto. Não quiseram adicioná-lo. Outros dizem que sua vida mudou ao ver esse selfie. Queriam que mostrasse uma pessoa de boa aparência, mas mostra alguém comum. Que viesse com ostentação, mas mostra alguém do povo. Que fosse um guru cheio de tecnologias e palavras da moda, mas retrata uma pessoa simples. Que fosse um salvador da Pátria, mas ele acabou sangrando, carregando uma cruz e morrendo. Achamos até que ele abandonou a rede, mas ele voltou e está mais online do que nunca.

Engraçado que quando esse ser se apresentou com fogo e justiça, houve quem quisesse ver uma foto, mas quando ele enviou a foto, se decepcionou. Uns acharam ele meio exibido, que gostava de festas. Outros que ele era bem exclusivista, que tinha um grupo fechado de 12 pessoas. Outros que ele era estraga-prazer por querer um crescimento do nosso caráter, por dizer às vezes a palavra não. Mas ele é quem é, a expressa imagem do Pai, que veio morar conosco, conversar conosco. Você já acessou a mensagem dele? Gostou da foto?

O perfil está aí há 2000 anos. Nele você encontra o selfie que é a imagem principal. Quem vê o selfie, vê o Pai. Ele quer começar um relacionamento com você. A banda larga dele é a sua boca e os seus ouvidos. Nada mais simples. Nem precisa clicar sim no smart. Fale com ele nesse instante que está interessado em entrar no rol de amigos. Leia seu perfil. Conheça outras pessoas que o adicionaram, tendo bastante cuidado para ver se são parecidos com ele. Busque convívio com elas também. Ah, ele gosta muito de música, de dança, de toda forma de expressão, de partilhar suas alegrias e tristezas. Eu adicionei faz tempo, espero que você goste de sua primeira conversa com ele e possa concluir comigo que esse é o selfie que todos deveriam ver. Valeu pela leitura e tudo de bom!

Conheça a palavra de Deus no original

Toda a Bíblia foi escrita a mão tendo como suporte papiros ou pergaminhos. Não temos nos dias de hoje os manuscritos onde os autores escreveram de próprio punho, mas temos cópias fidedignas que sobreviveram até os dias de hoje. Podemos garantir a máxima fidelidade pelo extenso número de cópias, maior do que qualquer documento da História Antiga. Se negarmos a autenticidade da Bíblia como documento histórico, simplesmente não teremos mais História Antiga!

É muito interessante apurar o texto original, mas não é tarefa fácil. A princípio se utilizou como apoio para determiná-lo as mais antigas traduções como a grega, do século III a.C. e a latina de Jerônimo, já na nossa era. Como apoio também se agregou a Peshita e os targuns aramaicos.

Os manuscritos mais antigos e precisos foram encontrados na vizinhança do Mar Morto em meados do século passado, com 200 transcrições de livros da Bíblia, datadas entre 150 a.C. e 70 d.C..  Apesar de haver um manuscrito completo do profeta Isaías, a grande maioria destes manuscritos é fragmentária.

O volume completo mais antigo da Bíblia Hebraica é o Códice de Leningrado, do ano 1008 da nossa era. Ele e o Códice incompleto de Aleppo de 930 são os exemplos principais dos textos que denominamos massoréticos (tradicionais), que servem como base para que se complementem os achados mais recentes, traçando um texto final.

Texto final? Não é propriamente final, mas a melhor apuração arqueológica possível com os documentos que mencionamos até aqui. Por isso em 1906, Kittel  lançou a Bíblia Hebraica, que mostrava anotações laterais e rodapés modestos com um menor número de documentos históricos e apuração de variantes textuais.  A Terceira Edição de Kittel teve grande sucesso, mas os achados do Mar Morto a deixaram obsoleta.

Em 1977 foi lançada a Bíblia Hebraica Stuttgartensia que consistia das anotações laterais dos códices e referências a um volume distinto com as explicações delas e explicação das palavras que só aparecem uma vez no texto, que são as mais difíceis de identificar o sentido. Esta Bíblia original é a base de todas as traduções sérias atuais da Bíblia. De forma a tornar o trabalho do estudante minucioso da Bíblia mais prático e objetivo, está sendo elaborada a Bíblia Hebraica Quinta, onde tais explicações já estão incorporadas em um único volume com a atualização das mais recentes descobertas arqueológicas e textuais, sendo assim uma atualização muito vantajosa e esperada, do qual já foram lançados porções importantes.

Até agora falamos de Antigo Testamento. O Novo Testamento também possui um grande número de manuscritos em idioma grego comum da época do Império Romano. A partir do chamado Texto Recebido que foi o texto grego oficial na Idade Média e  melhorado no Renascimento por Erasmo de Rotterdã, a partir do final do século XIX muitos arqueólogos começaram a apurar melhor o texto original com base em novos manuscritos descobertos. Nestle agrupou estas descobertas em seu Novum Testamentum Graece de 1898.

Desde então a edição de Nestle vem tendo atualizações por um comitê de especialistas que apuram as variantes significativas e verificam as provas históricas dos manuscritos que são citados na obra. Além de manuscritos do texto em si são consultadas lições bíblicas bem antigas, os pais da Igreja, e as traduções mais antigas latinas, egípcias, aramaicas, junto com análise de pontuação das traduções de Lutero até os dias de hoje, porque os manuscritos gregos não tinham pontuação nem separação entre as palavras, nem capítulos nem versículos.

Grande parte desse material encontra-se em programas robustos de computador, evitando abrir diversos volumes ao mesmo tempo e dinamizando o trabalho do tradutor ou exegeta, mas é bem certo que o pesquisador não deve ver nestas edições dos textos originais uma obra completa. É necessário um entendimento da transmissão do texto, usar bons léxicos aramaicos, hebraicos e gregos, buscar o discernimento do Espírito Santo e se despojar de ideias preconcebidas para apurar o sentido original e aplicar para o leitor do século XXI. Quero desafiar você a conhecer a Palavra de Deus e, por consequência, o Deus da Palavra intimamente. Não se contente com a melhor tradução, seja você mesmo um intérprete para a geração atual!

 

 

Vale a pena ir à igreja verdadeiramente evangélica

Uma igreja verdadeiramente evangélica te oferece uma série de ferramentas que você não encontra em outro lugar. Podemos resumir esta caixa de ferramentas com o nome discipulado. Orientações que vieram de Jesus Cristo e comunicamos através da pregação, do ensino, das dinâmicas de grupo (canto, dança) e festas.

Você vai perceber que encontrará formas artísticas diferentes das que encontramos fora da igreja. Isto se denomina louvor (um estilo musical ou de dança onde dizemos obrigado a Deus pelos seus vários feitos) e a adoração (onde damos a Deus o que ele merece por tudo o que faz em nossa vida, o reconhecimento de suas qualidades maravilhosas e de sua grandeza e autoridade sobre nós).

Na igreja verdadeiramente evangélica toda reunião é um convite para que você possa ter um relacionamento com Jesus Cristo e assim possa entrar em um estado de vida que chamamos salvação. Salvação é libertação do pecado e do seu castigo. Você  se torna livre para viver para Deus como seu filho através de um convite pessoal e sincero. A partir daí você começa a andar em direção ao bem de forma natural e mais voluntária porque possui a ajuda do Espírito Santo de Deus.

Quando a pessoa recebe a salvação tem uma imensa vontade de contar para as outras. Isso acaba também incentivando você a ir a igreja onde você encontra pessoas que compartilham a sua fé e onde a pessoa pode também ter a mesma experiência que você teve. Compartilhar é bom porque você, além da alegria de ajudar alguém, ao cuidar da vida para a qual compartilhou, cuida mais de si mesmo.

Outra grande incentivadora que você entra em contato na igreja é a cura divina. A oração traz cura conforme a vontade de Deus. É a provisão de Deus para nossa saúde. Isso nunca desmerecerá a medicina, pois ela também é um meio de prover saúde as pessoas, mas a cura divina é sempre uma possibilidade que não deve ser descartada porque o mesmo poder que Jesus tem para salvar ele tem para curar.

Com a visão da salvação, você com a ajuda dos irmãos na igreja começa a refletir e detectar pontos que potencialmente podem atrapalhar o seu compromisso com Deus e passa a deixá-los por amor. Isso acontece porque a exclusividade cristã chamada santificação começa a agir dentro de você. Antes você gerava injustiça por causa do complexo repressivo chamado pecado, agora sarado por dentro você começa a produzir bons frutos. Ver esse progresso te incentiva, também é gratuito e vale muito mais que terapia.

Quando você vai para uma igreja centrada em Cristo você ganha uma nova família que se torna muitas vezes mais íntima que aquela que você nasceu: a família de Deus. São inúmeras as alternativas de relacionamentos espirituais e apoio mútuo. Uma família local, nacional e internacional. De filhos, não somente criaturas, de Deus.

A partir daí abre-se um leque de possibilidades, você passa a conhecer outras habilidades exclusivas como o batismo com o Espírito Santo, os dons espirituais, os estudos bíblicos, a defesa da fé com relação a filosofias humanas, a compaixão, a ajuda espiritual aos necessitados junto com a material, a cura interior e ética cristã, tudo isso visando a aprovação divina na expansão do seu Reino.

Sim, vale a pena ir a uma igreja verdadeiramente evangélica, procure uma que ofereça tudo isso bem pertinho da sua casa.

Uma igreja verdadeiramente evangélica

Observamos uma igreja hoje repensando a si mesma. Querendo se reposicionar politicamente, buscando renovar a sua imagem, atrair mais pessoas e ter atividades mais eficazes, viabilizando-se economicamente. Há quem encare a igreja como agremiação social, outros a encaram como empresa. Em certa pesquisa foi apurado que os jovens encaram a igreja evangélica como um entretenimento nos finais de semana. A vitória dela, no entanto, está em uma fidelidade a suas raízes bíblicas: a proclamação do evangelho de Cristo.

Em primeiro lugar, a igreja fiel possui vida. O ritualismo, o formalismo, a mercantilização vão robotizando as pessoas e tornando os cultos, pregações e ensinos chatos e cansativos, mas o mesmo Espírito que ressuscitou a Jesus Cristo dentre os mortos traz ao homem a certeza do amor de Deus, a convicção do pecado e a necessidade de conversão. Quando o homem nasce de novo, ele passa a ter vida espiritual. Tal vida consiste em desejos voluntários de falar com Deus, conhecer a Sua Palavra, cantar louvores, separar-se de atividades imorais e transmitir a seu semelhante a boa notícia da salvação. Isso faz de cada momento de comunhão na igreja uma celebração do amor de Deus e uma ministração de algo pessoal, marcante e definido que não permite que a reunião seja corriqueira e impessoal.

Quando a igreja possui a vida de Cristo, cada membro é um sacerdote e edifica seus irmãos. Há um desejo de se reunir, de dar as mãos, de aprender, de perdoar. Há um senso de família e uma nobreza digna do reino de Deus. Não se pensa em explorar, antes em suprir as necessidades uns dos outros.

A igreja evangélica de verdade também possui paz. A paz interior advém da fé em Cristo que lhe traz confiança que nada lhe pode separar do amor de Deus e da sua salvação. Com tal certeza que seus pecados foram perdoados e de que tudo se fez novo na sua vida, ele sente tranquilidade. A paz bíblica vai além do sentido usual de ausência de conflitos. Passa pela ideia de integridade do corpo, porque a ansiedade gera grande parte das doenças. Da integridade da alma, porque todas as mazelas da existência vão sendo pouco a pouco superadas pelo desejo missionário de anunciar a paz aos outros. Somente com a paz, o cristão reúne forças para fazer o trabalho do Senhor e passar pelo agitado mar dessa vida. É interessante perceber que essa paz independe do estado inicial que essa pessoa tenha de saúde de seus nervos, é algo inspirado pelo espírito do homem, que, ao acolher o Espírito Santo como sua habitação, vai trazendo saúde a sentimentos e pensamentos. É uma terapia vital que vai sanando relacionamentos, comportamentos, vícios, eventualmente até mesmo doenças crônicas.

Isso não quer dizer que o crente que possua paz não tenha doenças e revezes na vida. Se não os tivesse viveria para sempre na terra. Mas quer dizer que as doenças não desanimam o cristão, antes ele sente a paz e o consolo da presença de Deus em meio às doenças e aos problemas. Só com essa paz interior ele pode vencer os desafios do tempo presente olhando para Jesus e seu destino glorioso que é o céu.

Observamos que a fé lhe produz vida, a vida lhe transmite paz e a paz possibilita o amor. Existe um banho de amor da parte de Deus que transborda no coração da igreja. Em grupos sociais e organizações humanas sempre existe a tensão entre os grupos, o conflito de interesses e a superficialidade nas relações, mas na igreja bíblica floresce o amor. Esse amor leva a igreja para fora das quatro paredes de um templo e a impulsiona a abordar as almas perdidas com o olhar amoroso de Deus, leva a amar ardentemente os irmãos a ponto de lhe ajudar a suprir as necessidades ou discipulá-lo em seu dia a dia. A vida em família é revigorada, o caráter cresce á semelhança do caráter de Jesus Cristo homem, Isso faz com que a igreja ao invés de ser meramente uma organização, seja um organismo vivo, onde a multiforme sabedoria de Deus se expressa de forma vital, abraçando, acolhendo aqueles que a integram.

Notemos que nenhuma dessas características tem fonte humana. A vida, a paz e o amor procedem de Deus. Então somente buscando a Deus poderemos ter uma igreja verdadeiramente evangélica. Ela não é uma utopia, é uma realidade bem presente na vida daquele que é nascido de novo. Não se sujeita a barreiras denominacionais, mas ao crivo da justiça de Deus e da Bíblia. Isso podemos ver claramente no início da visão de João, o Apocalipse, quando Cristo com amor avalia as sete igrejas com estes parâmetros. E desafia as igrejas locais de todos os tempos a vencer para que estejam com Ele para todo o sempre. Fica o desafio para o leitor de nosso século, fazer uma sincera oração a Deus pedindo-lhe que tanto a sua pessoa como igreja abunde nesses três ingredientes. Então oremos…

Conteúdo cristão na Internet

Que bom! Vejo que você quer ter conteúdo saudável na sua navegação! Convido você a digitar algo que venha a edificar as pessoas pela rede. Seja um e-mail, um post de blog, recados de uma rede social, as pessoas estão cansadas da mesmice. Querem novidade para suas vidas e palavras que tenham sentido, sobretudo que venham do coração de Deus.

Em primeiro lugar, tenha um relacionamento vivo com Jesus Cristo. Busque conversar com ele em oração e interceder pelas pessoas. Agradecer pelo que Ele tem feito em sua vida. Procure conhecer bem a vontade dele através da Escritura. Tenha comunhão com sua igreja local e tenha uma vontade real de estabelecer relacionamentos, criar pontes com as pessoas. Não se isole conversando somente com cristãos, busque uma aproximação compassiva e sincera com os que não tem a fé.

Evite criticar, denunciar, jogar pedras, etc. Ao se informar, lembre-se de que o jornalismo geralmente tem uma visão bruta, fria dos acontecimentos. Pense no leitor final como alguém especial que precisa de uma mensagem especial. Pode comentar as questões da ordem do dia, mas tenha uma visão diferenciada, a visão de Deus. Uma visão de amor, de carinho, de fé.

Tendo esta mensagem para divulgar, procure o canal correto para ela. Blog, rede social, mural da igreja, todos os meios tem uma linguagem correta e um público particular. Tenha sempre em mente que terá um investimento em tempo e muitas vezes em dinheiro para veicular a mensagem. Nunca desperdice os recursos que Deus lhe deu. Seja econômico, curto e incisivo em tudo.

Sempre deixe um meio para que as pessoas comentem e busque aconselhar esses comentários pela palavra de Deus, mesmo que seja contextualizada para aquelas que não tem familiaridade com ela. Como é isso? Use a sua opinião de forma que mais se assemelhe a palavra. Aplique o que você aprende incorporando ao seu pensamento e a sua vida.

Ore por aqueles que te criticam para que venham a conhecer o evangelho, e glorifique a Deus pelas pessoas que forem edificadas por sua mensagem. Não se esqueça de se agradecer aos que gastaram tempo, vista ou ouvido prestando atenção nela.

Se não tiver o resultado esperado , não desanime. Edificar as pessoas é um aprendizado e leva tempo. Quem sabe você recebe um “Curtir” do Senhor Jesus Cristo?

 

Como administro minha vida?

Não fomos jogados aqui na terra por um acaso. A vida de cada ser humano não se trata somente de uma procriação de um homem com uma mulher. Na verdade ela é a criação direta das mãos de Deus. O Criador nos deu o dom da vida.

Quando Deus colocou Adão no jardim do Éden, ele não lhe deu uma escritura lhe dando a posse do planeta. Mas fez do primeiro homem o administrador do jardim com um propósito definido: lavrar e cuidar. Vemos aqui o trabalhar de Deus para com homem através da MORDOMIA. O mordomo nada mais é do que aquele que administra os bens de outra pessoa.

Mordomia não é regalia de políticos como se vê no jornal. Biblicamente a palavra mordomia se trata de administrar tudo aquilo que Deus nos deu para a glória dEle. Deus espera de nós que administremos aquilo que Ele nos deu de graça. Ele tem todo o direito para isso porque somos dele por criação, por preservação (Ele preserva a nossa vida), e por redenção (Ele nos salva pela pessoa de Jesus Cristo quando o aceitamos pela fé).

O resumo da mordomia está na frase “Não sou meu”. A partir do momento que entregamos nossas vidas a Deus, não somos mais de nós mesmos. Daí passamos a administrar aquilo que é dele: a nossa vida.

Entendido esse princípio, passamos a estudar todas as facetas da nossa vida. Por exemplo, o corpo passa a ser para nós templo do Espírito Santo. Devemos cuidar dele, evitar os vícios, exercitá-lo, ter uma boa alimentação, etc. A nossa mente vai passar a ser trabalhada e desenvolvida, porque devemos servir a Deus com entendimento (refletindo, pensando antes de agir), e devemos batalhar contra os inimigos da mente (ociosidade, insinuações malignas, acomodação pela mídia, etc.). Vamos administrar também a nossa influència, levando o bom exemplo aos outros e somente permitindo que influências positivas venham a nos impulsionar.

Devemos lembrar também que devemos administrar o nosso espírito, crescendo na graça, orando, se alimentando da Palavra, buscando renovação constante e inspiração diária, além de orientação.

Quanto aos bens, vou investir no fortalecimento da minha vida espiritual, da minha família e da igreja na qual congrego, além de me empenhar pelo bem do meu próximo. O tempo também deve ser administrado, fazendo dele um inventário e vendo se gasto este tempo com inutilidades ou tenho um cronograma para servir aos propósitos da minha vida para a glória de Deus.

Tendo uma tarefa tão digna de despenseiros, mordomos de Deus, sejamos fieis ao nosso chamado, porque assim veremos a fidelidade de Deus cumprindo suas promessas em nossa vida!